Empatia faz bem pro coração

578176_463100980551627_7375351139522470574_n

Enquanto que a postagem anterior, sobre discernimento, referia-se a uma qualidade que fortalece o cérebro, a de hoje é algo que fortalece o coração. Enquanto que a postagem anterior, sobre discernimento, era um desabafo sobre a falta dessa característica na população mundial atualmente, a de hoje expressa o mesmo tipo de desabafo sobre o vazio torácico das pessoas.

A ilustração aí de cima demonstra bem o ponto que quero trazer hoje: a empatia se tornou uma raridade.

Pra começar, uma rápida definição pra quem não sabe que porra é essa: “empatia” é o termo utilizado pra definir a capacidade de uma pessoa em botar-se no lugar do outro, de tomar a perspectiva de alguém diferente, de enxergar o mundo através de outra pessoa, de entender e compreender as emoções de outro indivíduo, suas decisões, estilo, vivências, motivos.

Não entendeu ainda? Tá muito teórico? Não tema, lhe dou exemplos:

Psicopatas não têm empatia.

Assassinos não têm empatia.

Preconceituosos não têm empatia.

Cuzões não têm empatia.

giphy (1)

A empatia é a responsável por sentirmos compaixão pelo outro, por termos atitudes boas para com a sociedade. Ter empatia é sentir o ímpeto de socorrer alguém ferido em algum acidente, de ajudar alguém com problemas, de entender o que o outro está passando.

É graças a ela que vivemos em sociedade.

E é graças à falta dela que nossa sociedade tem tantos problemas.

Veja bem, essa capacidade não é binária, ou seja, não liga ou desliga, não funciona aplicada a tudo ou não. O ser humano é diverso, inclusive internamente, o que faz com que todos tenhamos um lado “bom” e um lado “ruim”.

Por exemplo: uma pessoa pode ser um anjo gentil e altruísta com determinado assunto, enquanto é um demônio filho da puta em outra área. Vocês certamente conhecem alguém assim. Se não você mesmo.

Uma pessoa com preconceito racial contra negros sente empatia por brancos, mas não por negros. A mesma dinâmica funciona pra qualquer outro tipo de preconceito, seja racial, religioso, político, homofóbico, etc.

Como provavelmente vocês já entenderam, pra mim o preconceito é um dos grandes e principais problemas da nossa sociedade e surge quando a empatia resolve dar uma banda no magma terrestre.

Nós estamos muito acostumados a entender o preconceito como sendo de apenas algumas áreas, como a racial, por exemplo. Mas não. Se você tem uma reação negativa a alguém porque este é / pensa / age diferente de você, isso É preconceito. O ódio à pessoa de outra classe social / religiosa / cor / etnia / orientação sexual / estilo / visão de mundo É preconceito.

“ah, mas eu não sinto ódio por ninguém”

O ódio e a violência (e o fanatismo e fundamentalismo) são apenas os aspectos mais extremos do preconceito. Existem formas mais brandas, mas que ainda assim são preconceito.

Se você desconfia que um homem negro na rua é um possível assaltante pelo simples fato dele ser negro, você está sendo preconceituoso. Se você sente nojo ou desconforto perante um casal homossexual, você está sendo preconceituoso. Mesmo que você nunca reagisse de maneira violenta à esse homem ou ao casal.

Existem pessoas que têm amigos negros, mas que se recusariam terminantemente de se casar com uma pessoa negra. Isso é preconceito. Existem pessoas que ajudam pobres, mas que detestariam ter estes como vizinhos. Isso é preconceito.

“Mas Ana, tu não tava falando sobre empatia?”

Sim. Me empolguei. Voltemos pois.

Trazendo a batata pros tempos atuais, vemos toda essa animosidade, fanatismo, violência, polarização, fundamentalismo e preconceito entre as pessoas em variadas áreas pelo mundo. E tudo isso porque perdemos a capacidade de sentir empatia.

No Brasil, a crise política está gerando medo de sair de casa e de expor opiniões. Na Europa, estão fechando fronteiras com medo dos imigrantes de países muçulmanos. Vou nem começar a falar sobre as violências cometidas contra mulheres e crianças…

12928324_994184327331274_7380344729795005667_n

André Dahmer sendo genial.

O mundo está doente. Essa doença viral se chama preconceito generalizado. E a cura é boas doses de empatia. Aplicada a todos, e não apenas em pequenos grupos. Não adianta querer curar um câncer em metástase tratando apenas um dos braços. Temos que tratar o coração, pois é ele que vai bombear o remédio pro corpo todo.

Observe-se. Estude a si mesmo. Onde você é preconceituoso? A que você tem reações negativas? O que isso te traz de bom? Onde está te faltando empatia? Onde você pode aplicar melhor isso?

Fikdik.

Om Namastê.

Anúncios

Sobre Siluriana

Sou um de muitos alter-egos, procurando alguma organização interna. :)
Esse post foi publicado em Nutrientes da Vida e marcado , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s